As cidades deixam os pássaros nervosos. E não estamos todos?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

As aves que vivem em regiões urbanas são mais territorialistas, barulhentas e agressivas se comparadas aos seus semelhantes das áreas rurais. Essa é a conclusão de um estudo realizado pela universidade americana Virginia Tech, publicado em junho no jornal científico Biology Letters. A pesquisa foi realizada por meio da análise de dezenas de pardais em diferentes regiões. O resultado apontou uma mudança significativa de comportamento da espécie. Estamos falando de pardais, ok?

Quem mora nos grandes centros urbanos e resolve passar um tempo na zona rural, percebe logo as diferenças. Não é apenas uma questão de sotaque, os pardais rurais parecem ser mais atenciosos, mais calmos, eles dormem cedo e, misteriosamente, conhecem bem seus vizinhos (em alguns casos, são até compadres). A vida tem outro ritmo, as preocupações, outras importâncias.

Já na cidade, os pardais são mais intensos. Sob a desculpa de estarem sempre atrasados, mal se cumprimentam, voam como se disputassem arrancadas. Na verdade, tente atrasar um pouco a saída do semáforo para ver se já não começa um ‘bate-bico’. As responsabilidades são tantas que é quase impossível viver em paz. Mas são necessárias tantas responsabilidades? Impossível saber, não dá nem tempo de pensar.

As cidades deixam os pássaros nervosos
Esse cardeal-do-nordeste sentou para descansar em plena Avenida Paulista. Coitado! É quase impossível acompanhar o ritmo dos pardais. Foto: Murilo Vicentini.

Nas cidades, os voos são sempre objetivos. Tem horários certos para começar e terminar. Voar livre e espontaneamente chega a ser uma ofensa para as aves tão frenéticas que precisam buscar seus filhotes, fazer horas extras, curso de idiomas e aula de pilates.

Não sou um ornitólogo e nem consigo palpitar nessa situação. Mas, às vezes, sinto dó dessas aves urbanas. Eu sei que as opções de alimentação ou entretenimento em zonas rurais não são as mesmas da cidade. Uma ave nascida e criada em uma região dificilmente consegue viver bem em outra. É uma questão de estilo. Mas será que não é possível tornar a rotina urbana um pouco mais agradável?

Talvez um dia esses pardais urbanos diminuam sua petulância e aprendam algo com os que moram no campo. Talvez nesse dia as cidades escutem menos brigas entre os pássaros, e mais cantos alegres.

Boa sorte aos pardais!

Tags

sobre o autor